Brainsharing

Chegou a hora de organizar as finanças, freelancers!

Vida de freelancer

Uma das maiores reclamações de quem encara a vida de freelancer é a instabilidade nas demandas de trabalho e, com isso, a incerteza quanto à entrada de grana no futuro. E um grande ponto negativo desse formato pode ser justamente a sua relação com o dinheiro, desde cobrar justamente até organizar as finanças para que uma crise não abale sua estabilidade.

Muitas vezes, a melhor parte da vida de freelancer é fazer um trabalho bem bacana e criativo para um cliente e a pior é ter que administrar o dinheiro e as despesas. Aí é que mora um dos problemas! Se você não consegue controlar seus gastos, acaba tendo que ganhar muito mais para ter algum lucro, e isso pode tornar sua vida muito estressante.

Cadê a grana?

Algumas dicas simples podem fazer a diferença na organização financeira de quem leva vida de freelancer 🤑

A primeira é: defina seu salário.

É importante que você tenha uma renda fixa para que possa organizar seus gastos a partir disso. Não sabe como calcular sua retirada mensal? É fácil. Pegue o valor médio do quanto você faturou nos últimos três meses e calcule 70% disso para o seu salário. Com os outros 30% pague impostos, invista na sua própria divulgação ou apenas guarde para eventualidades.

Depois de definir seu salário, pense em como você vai controlar todas as entradas e saídas financeiras.

Você pode usar um software de orçamentação sofisticado ou apenas uma planilha mensal. Anote sua renda e suas despesas do mês. A partir daí você pode ver se está gastando muito e para onde esse dinheiro está indo.

Outro ponto importante é conhecer suas necessidades básicas se pretende encarar a vida de freelancer.

Se você pretende levar uma vida de freelancer, primeiro descubra quanto você gasta com aluguel, alimentação e outras despesas fixas. O ideal é que você ganhe mais ou menos o dobro desse valor. Se isso não está acontecendo, talvez seja a hora de cortar algum gasto.

Você pode economizar em muitas frentes. Diminua as despesas com celular e telefone fixo priorizando reuniões por Skype. Se você consome muito conteúdo na Internet, talvez não precise mais de uma assinatura de TV a cabo. E almoçar na rua também pode abalar o orçamento. Prefira comer em casa ou leve sua própria marmita.

Se a sua renda principal ainda não está sendo suficiente, pense na possibilidade de diversificar o trabalho.

É você quem decide como e de onde vem o seu dinheiro, portanto não há nada que lhe impeça de ter mais de uma fonte de renda. Pense em novos formatos, consultorias, cursos e palestras.

Sem dúvida, o mais importante para um profissional freelancer é ter sempre uma reserva financeira. Procure economizar 10% de tudo o que fatura. É esse dinheiro que vai lhe salvar caso fique doente por alguns dias ou as demandas dos clientes diminuam.

Resumindo 👇🏽

  • Tenha um salário. Não importa que a sua entrada varie mensalmente e que você seja o único funcionário da empresa.
  • Saiba quais são as receitas e despesas de cada mês e fique de olho nelas.
  • Guarde dinheiro para emergências. Shit happens.
  • Don’t freak out! A vida de freela é mais que planilhas e relatórios. Aproveite a liberdade formato e se organize para garantir seus momentos de lazer.

Assine Rulez Pack

Sobre o autor

mm

Marcia Breda

Especialista em Mídias Sociais e fã do Twitter. Jornalista por formação, trabalha há oito anos com Comunicação Digital. Já atendeu contas nacionais como Colcci, Tufi Duek, Dell Anno e SPFW. É apaixonada por tecnologia, inovação, gastronomia e cervejas artesanais. Atualmente, é sócia na Sadhu Solutions e editora dos blogs Adoro Home Office e Meu Menu Urbano.